Espetáculo sobre Clarice Lispector faz estreia nacional em Curitiba

1

Clarice & eu.

“Clarice e eu. O mundo não é chato” é uma adaptação para o teatro de textos de Clarice Lispector, feita por Rita Elmôr. Textos autorais da atriz também são inseridos ao longo da peça. Inicialmente, a atriz conta como iniciou a carreira interpretando Clarice Lispector em um monólogo, e como as suas fotos têm sido, até os dias de hoje, constantemente confundidas com as fotos da escritora, chegando mesmo a estampar capas de revistas especializadas em literatura. O espetáculo será apresentado em Curitiba nos dias 7 e 8 de novembro no Teatro Bom Jesus e os ingressos já estão disponíveis no site www.diskingressos.com.br.

De forma quase imperceptível, o texto da atriz funde-se aos textos da escritora, e o fato inusitado da imagem de uma ser confundida com a imagem da outra se reproduz no plano linguístico. A adaptação priorizou os textos em que Clarice revela, com seu humor inteligente, maneiras mais criativas de levar a vida. Em nenhum momento a vemos falar sobre literatura ou sobre suas angústias existenciais. O recorte escolhido foi o do comportamento humano diante de situações constrangedoras e engraçadas.

É uma peça leve, que afirma a vida e causa boas reflexões. A intenção desse espetáculo, além de ressaltar a faceta mais engraçada de Clarice Lispector, ainda pouco explorada, é a de transmitir alegria de viver com as pequenas coisas.

Sobre o processo

Em 1998 a atriz Rita Elmôr fez um monólogo com textos de Clarice Lispector intitulado “Que Mistérios têm Clarice,” que privilegiou o processo de criação da escritora.  Nesse espetáculo, que foi a primeira peça profissional de sua carreira, ela foi indicada para o prêmio Shell.

Dezessete anos depois surgiu a ideia de remontar o espetáculo, e com essa reaproximação aos textos de Clarice Lispector, ficou claro que um outro recorte da obra da autora se tornara o caminho.

A ideia agora foi utilizar como base da encenação o livro de crônicas “A Descoberta do Mundo.” As crônicas, originalmente publicadas aos sábados no Jornal do Brasil, tratava de assuntos diversos. Ela discutia acontecimentos de uma época de grande efervescência cultural (1969 a 1973) e filosofava sobre a existência, mas também escrevia sobre temas prosaicos que observava em seu cotidiano. O relato da atriz sobre a sua experiência na primeira montagem serve como ponto de partida para uma nova tradução de Clarice.

Na peça “Que Mistérios têm Clarice”, a caracterização física da intérprete e a biografia da escritora eram pontos marcantes. Agora o caminho é outro, o tema da nova montagem é o amor, a afirmação da vida. A atriz e a autora se misturam em suas experiências, deixando o espectador atento para captar o olhar generoso e agudo de Clarice.

Serviço:
“Clarice e eu. O mundo não é chato”
Dia 7 de novembro, às 21h, e 8 de novembro, às 20h.
Local: Teatro Bom Jesus (Rua 24 de Maio, 135. Centro. Curitiba-PR)
Ingresso: R$ 86,00 (inteira), R$ 46,00 (meia), disponível em www.diskingressos.com.br.

Informações: 41 3273-1200 e 9611-5622

Texto: Clarice Lispector
Adaptação: Rita Elmôr
Elenco: Rita Elmôr
Direção: Rubens Camelo
Produção: Oxigene Cultural
Figurino: Mel Akerman
Cenário e Iluminação: Paulo Denizot
Assessoria de imprensa: Diogo Cavazotti Comunicação

Realização: Oxigene Cultural.
Parceiros: Doc Brazil, Claure Comunicação, Aladdin.
Apoiadores: Piola, Hotel Centro Europeu, Mezanino das Artes, Lugana Tratoria.

Discussion1 comentário

Leave A Reply